Novidade pode revolucionar o mercado para grandes corporações editoriais no Brasil

Novidade pode revolucionar o mercado para grandes corporações editoriais no Brasil

Essa semana fui surpreendida com a matéria da Pyr Marcondes, publicada no Meio de Mensagem, sobre os softwares que automatizam a produção de notícias. Ela explica que dois dos principais jornais dos Estados Unidos já o estão utilizando para a produção de notícias.  A novidade foi apresentada em dois painéis sobre a automação do jornalismo no festival de tendências, South by Southwest, que acontece em Austin, Estados Unidos. O software se chama WordSmith e está disponível por U$ 1 mil dólares mensais.

Fonte: Geiza Mesquita, em 17/08/2017

 

 

Demita seus jornalistas que meu software resolve pra você

Twitter explora versão premium após 11 anos com serviço gratuito

Twitter explora versão premium após 11 anos com serviço gratuito

Diferente do Facebook, o Twitter não tem conseguido atrair receita publicitária suficiente para ter lucro

O Twitter está considerando a criação de uma versão premium de sua rede social voltada a profissionais, anunciou a companhia nesta quinta-feira, elevando a possibilidade de que a empresa poderá cobrar assinatura de alguns usuários pela primeira vez.

Como a maior parte das companhias de mídia social, o Twitter desde sua fundação há 11 anos tem se concentrado em criar uma grande base de usuários para um serviço gratuito financiado por publicidade. No mês passado a empresa divulgou que tinha 319 milhões de usuários no mundo.

Mas diferente do Facebook, o Twitter não tem conseguido atrair receita publicitária suficiente para ter lucro, mesmo com toda a popularidade que recebe do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e de outras celebridades que utilizam a rede social.

O Twitter está conduzindo uma pesquisa “para saber o interesse em uma nova versão mais avançada do Tweetdeck”, que é uma ferramenta que ajuda os usuários a navegar pela rede social, disse a porta-voz Brielle Villablanca, nesta quinta-feira.

“Regularmente conduzimos pesquisa com usuários para termos informações sobre a experiência deles no Twitter e para basearmos melhor nossas decisões de investimento de produto. Estamos explorando várias formas de tornar o Tweetdeck mais valioso para profissionais.”

Não há indicação de que o Twitter esteja considerando cobrar tarifas de todos os seus usuários.

A informação sobre a pesquisa do Twitter foi publicada mais cedo na própria rede social. Jornalistas publicaram imagens de telas que mostram como a versão premium do Tweetdeck poderia se parecer.

A versão poderia incluir “ferramentas mais poderosas para ajudar anunciantes, jornalistas, profissionais e outros usuários em nossa comunidade a encontrar o que está acontecendo no mundo de maneira mais rápida”, mostra uma das telas publicada na conta @andrewtavani.

Fonte: Revista Exame